Bem-vindo ao Atlas Geográfico Escolar na Internet! Aqui você encontra ilustrações animadas sobre geografia e cartografia, e consulta mapas do Brasil e do Mundo de uma forma fácil e atraente.

 

Acredita-se que o Universo originou-se de uma grande explosão…

…O Big Bang

Esta gigantesca explosão, que ocorreu entre 15 e 10 bilhões de anos atrás, é chamada Big Bang. Toda matéria que existe formou-se em uma fração de segundo, em um espaço infinitamente pequeno, e estendeu-se a uma velocidade incrível, de maneira simultânea. À medida que o Universo se expandia, as temperaturas extremamente altas da matéria expelida diminuíam. Com esse resfriamento, as diminutas partículas fundamentais se combinaram e formaram prótons e nêutrons, que por sua vez formaram os átomos dos gases hidrogênio e hélio. Esses gases formam na atualidade a maior parte do Universo.

Segundo estudos atuais, o Universo continua se expandindo. Talvez um dia esse movimento possa se deter, ocorrendo uma contração final, chamada pelos cientistas de Big Crunch.

A escala do Universo

Nós estamos em algum ponto desta gigantesca estrutura que se expande. Ao olharmos em direção ao exterior do nosso planeta, podemos ver que o Universo é formado por estruturas sucessivamente maiores.

A Terra é um dos oito planetas que gravitam em torno do Sol, e o Sol é uma das duzentas bilhões de estrelas na galáxia da Via Láctea. A Via Láctea é um membro extenso de um cúmulo (aglomerado de galáxias) conhecido como Grupo Local, que, por sua vez, é membro do Supercúmulo Local (um dos aproximadamente cinquenta cúmulos que formam, em conjunto, a maior estrutura conhecida do Universo).

O Sistema Solar

É composto pelo Sol e todos os corpos celestes que orbitam ao seu redor, que incluem oito planetas e seus respectivos satélites naturais (como é o caso de nossa Lua), os planetas-anão (Plutão, Ceres, Makemake, Haumea e Eris) e seus satélites, bem como os asteroides, cometas e outras incontáveis partículas.

sistema solar

Sol
O Sol é o maior corpo do sistema solar, com massa aproximada de 1,989x1030 kg, o que representa 99,8% da massa total do Sistema Solar. Tem um raio aproximado de 695 508 km e encontra-se a aproximadamente 150 milhões de km da Terra. É composto principalmente por hidrogênio (91%) e hélio (8,9%). A temperatura no seu núcleo é de aproximadamente 15 000 000°C, e na sua superfície chega a 5 500°C.

Mercúrio
É o planeta mais próximo do sol (aproximadamente 58 milhões de km), além de ser o menor planeta do Sistema Solar (raio aproximado de 2 440 km). Um dia em Mercúrio equivale a 59 dias terrestres, e um ano, a 88 dias terrestres. As temperaturas na superfície de Mercúrio são extremas, chegando a 430°C durante o dia e -180°C durante à noite.

Vênus
É o planeta mais similar à Terra quanto à estrutura e ao tamanho. Encontra-se a aproximadamente 108 milhões de km do Sol. É o planeta mais quente do Sistema Solar, sendo que as temperaturas em sua superfície podem alcançar 471°C. Um dia em Vênus equivale a 243 dias terrestres, e um ano, a 225 dias terrestres.

Terra
Encontra-se a aproximadamente 150 milhões de km do Sol e tem um raio aproximado de 6 371 km. Leva 23,9 horas para dar uma volta em torno de seu eixo (um dia) e 365,25 dias para dar uma volta em torno do Sol (um ano).

Marte
Encontra-se a aproximadamente 228 milhões de km do Sol e possui raio aproximado de 3 390 km. Um dia em Marte equivale a 24,6 horas terrestres, e um ano, a 687 dias terrestres. Existe água em Marte, mas na forma de gelo e salgada, nas regiões polares. As temperaturas em sua superfície variam de 20°C ou mais até -153°C ou menos. Possui duas pequenas luas (Phobos e Deimos).

Cinturão de Asteróides
Entre Marte e Júpiter há um denso cinturão de asteroides, composto por fragmentos de um planeta que não chegou a se formar.

Júpiter
Encontra-se a aproximadamente 778 milhões de km do Sol e possui raio aproximado de 70 000 km. Um dia em Júpiter equivale a 9,9 horas terrestres, e um ano, a em torno de 12 anos terrestres. Tem mais de cinquenta luas na sua órbita, sendo as principais: Europa, Callisto, Ganymede e Io.

Saturno
Encontra-se a aproximadamente 1,4 bilhões de km do Sol e possui raio aproximado de 58 232 km. Em Saturno, um dia equivale a 10,7 horas terrestres, e um ano, a 29 anos terrestres. É circundado por 53 luas confirmadas e nove a confirmar, além dos chamados “anéis” (pedaços de cometas, asteroides e luas).

Urano
Encontra-se a aproximadamente 2,9 bilhões de km do Sol e possui um raio aproximado de 25 362 km. Um dia em Urano equivale a 17 horas e 14 minutos terrestres, e um ano, a 84 anos terrestres. É circundado por 27 luas confi rmadas, além de 13 “anéis”.

Netuno
Encontra-se a aproximadamente 4,5 bilhões de km do Sol e possui raio aproximado de 24,6 km. Um dia em Netuno equivale a 16 horas terrestres, e um ano, a 165 anos terrestres. É circundado por cinco “anéis” e 13 luas conhecidas.

A Terra

O diâmetro da Terra na Linha do Equador é de 12 756 km. A Terra não é uma esfera perfeita, pois é achatada nos polos. Sua superfície é calculada em 510 100 000 km2, sendo 149 400 000 km2 de continentes e 360 700 000 km2 de oceanos, isto é, a quantidade de terras submersas é mais de duas vezes superior à de emergidas.

O Movimento de Translação

É o movimento que a Terra realiza ao redor do Sol. Dura aproximadamente 365 dias. Esse movimento dá a noção temporal de ano. Para compatibilizar o nosso calendário com a órbita ao redor do sol, a cada quatro anos é acrescentado um dia a mais (ano bissexto).

O Movimento de Rotação

O movimento que a Terra realiza ao redor de seu próprio eixo imaginário é chamado de rotação e leva aproximadamente 24 horas para se completar. Chamamos esse período de dia. Durante este intervalo de tempo uma parte do planeta está iluminada enquanto outra está escura, dando origem aos dias e às noites.

As Estações do Ano

A órbita terrestre é elíptica, o que aproxima nosso planeta do Sol em determinados momentos (periélio) e o afasta em outros (afélio).

Essa variação é muito pequena (cerca de 2% apenas).

Porém, ao contrário do que muitos pensam, as estações do ano não ocorrem por causa dessa variação da proximidade da Terra em relação ao Sol durante o ano. Se assim fosse, teríamos na mesma época do ano a mesma estação nos dois hemisférios, o que não é verdade, pois quando é verão no hemisfério norte é inverno no hemisfério sul e viceversa.

As estações do ano são decorrentes principalmente da posição do eixo inclinado da Terra. Devido à inclinação aproximada de 23,5º do eixo de rotação da Terra em relação ao eixo perpendicular ao plano de sua órbita em torno do Sol, a luz solar não atinge igualmente os dois hemisférios: numa dada época do ano, um dos hemisférios fica mais voltado para o Sol. Isso resulta em estações do ano opostas: quando é verão no hemisfério norte, é inverno no sul; quando é primavera no norte, é outono no sul, e assim sucessivamente. As estações do ano, portanto, também podem ser consideradas uma das consequências do movimento de translação da Terra.


© 2019 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística